Sydney Opera House

Sydney Opera House

Faro mudou



1 comentários
Muita coisa tem mudado na cidade onde vivíamos durante a nossa ausência. O ano passado lembro-me de ter ficado triste quando num passeio pela baixa descobri tantas lojas e restaurantes fechados, ruas desertas e turismo praticamente inexistente.
Este ano fomos agradavelmente surpreendidos por uma série de novos espaços que vieram dinamizar a baixa e atrair novamente os locais e visitantes para o centro da cidade. E claro que tivemos que ir experimentar alguns desses sítios!
Começámos pela Hamburgueria da Baixa e ficámos fãs. Um conceito diferente do que estávamos habituados em Faro, atendimento exemplar, pratos com boa apresentação e hamburguers deliciosos. Não desiludiu!


Foto daqui
Um espaço moderno e acolhedor. Chegámos cedo mas a sala encheu!
Hamburguer "à Pátria", com cogumelos e cebola caramelizada. Uma delícia!

Dali seguimos para um cafezinho noutro dos novos pontos de referência da cidade, o Baixa Caffé, na Rua de Santo António.
Um café diferente do habitual, atendimento 5 estrelas e grande variedade de pastelaria, comida e bebidas. Mais um espaço que nos surpreendeu pela positiva. É bom ver que nem tudo é crise e que ainda há quem arrisque novos negócios com conceitos diferentes, para animar a nossa cidade.

Foto daqui
Foto daqui
Foto daqui

1º aniversário



0 comentários
Quando chegámos ao aeroporto fomos calorosamente recebidos pelo meu cunhado e sobrinha bebé. A miúda, que ainda não nos tinha visto ao vivo, reconheceu-nos das frequentes sessões de skype (viva as tecnologias modernas!) e esticou logo os bracinhos na minha direcção quando me aproximei. É uma bebé linda, cheia de energia e personalidade, e conquistou-nos aos dois deste o primeiro encontro.
Tivemos a sorte de ter férias ao mesmo tempo que eles e podermos passar muito tempo juntos para a conhecermos melhor.

A semana passada, a nossa sobrinha fez 1 ano. Há muito que a minha irmã andava a pensar na festa e me tinha "encomendado" a decoração, pedido a que eu acedi sem hesitar. E assim, depois de alguns dias de trabalhos manuais e na cozinha, montámos uma festa toda gira para o seu primeiro aniversário. A destacar o trabalho de equipa, pois toda a família ajudou um bocadinho a tornar este dia especial.

Ficam algumas fotos da festa das matrioscas, para a boneca da família:






Cansados mas felizes



1 comentários
O ano passado, quando voltámos a Portugal depois de 2 anos e meio fora, corremos o país para visitar familiares e rever os amigos todos. Apesar de cá termos estado muito tempo, não tivemos muitos dias “livres”, sempre com uma agenda super preenchida: almoço com este, cafezinho com aquele, jantar com o outro. Uma canseira!

Este ano jurámos a pés juntos que não íamos repetir a gracinha. "Combina-se um jantar com toda a gente e fica tudo despachado" - pensávamos.
Mas afinal, não sei bem como, acabámos a fazer exactamente o mesmo. Quer dizer, tivemos que reduzir um bocadinho a lista dos felizes contemplados com a nossa visita, mas não conseguimos evitar a tal correria.
Por um lado é óptimo, são tantos almoços e jantares fora que dão para matar as saudades todas da boa comida portuguesa e dos nossos restaurantes preferidos. Por outro lado, abdicamos do dolce fare niente típico das férias, aquela coisa de não ter horários para nada nem saber em que dia estamos.
Juntam-se uns eventos familiares de extrema importância em que participo activamente na decoração e esqueçam lá as férias de puro relax.

3 semanas já passaram, restam outras 2 e meia. O tempo voa quando andamos entretidos! Já deu para ver muita gente, comer bem, fazer praia, compras, concertos e festas. Os pontos altos têm sido os momentos em família, enquanto aproveitamos para conhecer melhor os nossos sobrinhos. Depois de uns dias de bricolage e trabalho na cozinha, a mais recente aquisição da família teve um 1º aniversário digno de registo (post dessa festa em breve), segue-se o casamento da minha irmã na próxima semana. Acho que só relaxamos a sério na última semana das férias, depois de todas as festividades e eventos sociais.

Mas não nos queixamos, às vezes é cansativo mas adoramos cada segundo do nosso tempo por cá e não queremos pensar na hora de ir embora!
Aqui fica um resumo das últimas semanas:


Sobre a viagem



1 comentários
Não é novidade que as viagens Portugal-Austrália são caras. Então para quem viaja nesta altura do ano, não há muito por onde fugir aos preços altos.
Este ano, para podermos estar presentes em eventos familiares importantes, tínhamos mesmo que viajar para Portugal em Agosto e a procura dos bilhetes foi coisa para nos deixar preocupados. Andámos a comparar preços durante meses e a estudar diferentes opções, até que um dia encontrámos uma boa solução, enquanto pesquisávamos opções de rotas no skyscanner. Na altura havia uma promoção da AirAsia para a Malásia e comprámos logo essa parte da viagem. Depois tratámos da outra "metade" do percurso e o resultado final foi um preço total mais simpático do que se tivéssemos comprado a viagem toda junta.
Claro que, sendo esta a primeira vez que comprávamos as viagens assim, não sabíamos como ia correr, por isso íamos cautelosos.

Pontos a considerar:
- A AirAsia é uma companhia low-cost, por isso tivemos que pagar as malas de porão que não estavam incluídas no preço do bilhete e ficámos um pouco mais limitados em relação ao peso que podíamos levar. Sendo uma low-cost, há uma série de outras coisas que não estão incluídas e têm que ser pagas à parte, como as refeições e snacks, kit de manta e almofada e até mesmo o entretenimento (tablet com filmes e jogos). Todas estas coisas podem ser reservadas online ou a bordo a preços baixos. Nós reservámos as refeições, levámos casacos e dispensámos o entretenimento porque queríamos aproveitar essa viagem para tentar dormir. Quanto às refeições, a reserva online é essencial, pois quem não reserva fica sujeito ao que sobra, o que como pudemos constatar não era muito...
- Não esquecer que pode sempre haver algum atraso no primeiro voo que comprometa os seguintes. Nós deixámos umas boas horas de escala na Malásia para garantir que tínhamos tempo de apanhar as malas, passar pela imigração, mudar de terminal e fazer novo check-in sem grandes stresses.
- Neste caso é sempre bom ter um seguro de viagem que cubra imprevistos, como a perda das malas ou de algum dos voos. Nós temos um cartão de crédito que inclui esse tipo de seguro, que usamos sempre para comprar viagens.

O modesto interior do avião da AirAsia
Instant Noodles, uma das poucas opções quando as refeições quentes acabaram
Os voos seguintes, na KLM pareciam um luxo em comparação. Acho que foi a primeira vez que realmente gostei da comida que serviram no avião, os lugares eram confortáveis e o entretenimento variado e actual. Muitos pontos positivos para esta companhia.

No geral não tivemos problemas com a viagem. Claro que o primeiro voo numa low-cost não foi tão confortável como o seguinte, mas não foi mau de todo e fez-se bem.
Só não aconselhamos este sistema a quem não está habituado a viajar ou a quem viaja com crianças pequenas, porque realmente o conforto não é o mesmo e há uma maior probabilidade de acontecer algum imprevisto. De resto, para quem quer poupar uns trocos nas viagens, esta é uma opção a considerar.

De volta a casa



0 comentários
Quase uma semana depois de aterrarmos, o jetlag está finalmente controlado (estava difícil de acertar com os sonos desta vez!) e passada a confusão dos primeiros dias, entramos agora no espírito de férias.
Já deu para matar as saudades de casa, da família mais próxima e da comida. Agora começam as andanças para rever os amigos, conhecer os novos rebentos e visitar todos os familiares, com umas pausas no meio para praia e relax.

Tudo a correr bem e ainda não nos atrapalhámos com a mudança de mão na estrada, mas não nos safámos de cometer algumas gafes de emigrante:
  • Ele: Tenta pagar um café com dólares australianos no primeiro dia
  • Ela: Diz “thank you” ao senhor que lhe segura a porta no restaurante
  • Os dois: Ligam as escovas no carro em vez dos piscas

Antes de uma viagem de avião



0 comentários
...evitar a todo o custo:

- Notícias da actualidade*
- Reportagens sobre desastres de aviação*
- Programas sobre Engenharia Aeronautica*


* Exactamente o género de programas que ele teima em querer ver ultimamente...

Diz-me onde moras, dirte-ei quem és



1 comentários
Eu já sabia que por aqui havia as zonas dos "ricos" e as dos "pobres". E não estou só a falar do tamanho das casas ou da beleza da vista, mas também das diferenças no preço de coisas como a comida ou a gasolina em subúrbios diferentes.

Quando morávamos perto da praia, lembro-me perfeitamente de evitar o supermercado lá da zona, porque tinha preços bem mais altos do que o da mesma cadeia que ficava um bocadinho mais longe (a apenas 5 minutos de carro ou autocarro).
Também já tinha reparado que os preços dos medicamentos variam de farmácia para farmácia, não há aquela coisa de o preço vir marcado na embalagem. Daí que já tenha pago valores diferentes num medicamento que compro regularmente.
Mas não estava preparada para a surpresa que tive há dias, quando precisei de o comprar e, por mero acaso, me encontrava em Bondi. O mesmo produto ficou uns 30% mais caro do que se o tivesse comprado em Marrickville, onde costumo ir.

Dou graças a todos os santos por vivermos numa zona com preços mais acessíveis, mas constato que definitivamente não pertencemos à classe dos ricos...
older post