Sydney Opera House

Sydney Opera House

Meu querido mês de Agosto



0 comentários

* Agora sim, somos emigrantes à séria!

O ser humano no seu pior



1 comentários
Acordámos com a notícia do voo MH17 e durante o dia não se fala de outra coisa.
Uma tragédia difícil de digerir, principalmente nesta altura do ano, em que vemos partir e chegar tantos amigos e conhecidos pela mesma rota. 
Não deixa de ser um choque perceber que a vida pode mudar num segundo, que há actos de uma maldade inacreditável e que ninguém está a salvo destes infelizes incidentes. Em Agosto vamos nós fazer o mesmo percurso, mas provavelmente já sem passar por aquele espaço aéreo.

Um dia muito triste para as famílias e amigos de todos os passageiros e tripulação que iam naquele avião...

Voltar a Casa



4 comentários
Mas nem tudo é mau no nosso Portugalinho e nós, como bons emigras, sonhamos o ano todo com o regresso a casa, à família, aos cheiros e sabores que tão bem conhecemos...
Este ano tem passado a correr e já estamos em contagem decrescente para as férias em Portugal! Estava difícil de encontrar bilhetes a um preço convidativo, mas graças a uma promoção que apanhámos e à nova estratégia que adoptámos de comprar as viagens em 2 partes, conseguimos um preço relativamente simpático em pleno mês de Agosto!
Férias em Agosto no Algarve, oh que grande chatice! Daqui a 1 mês estamos de malas feitas para nos pormos a caminho.


Por outro lado...



1 comentários
Acabo de saber que o único cinema da cidade onde morava em Portugal está em vias de fechar.
Por aqui fala-se muitas vezes na possibilidade de voltar (uns dias mais que outros), mas quando recebemos notícias destas não conseguimos deixar de admitir que em muitos aspectos, pelo menos para já, o país não nos pode oferecer a qualidade de vida que procuramos. É triste...
Mas também é por isso que agradecemos o privilégio de poder estar aqui e aproveitar tudo o que esta "casa longe de casa" nos proporciona.

Só na Austrália



3 comentários
Só aqui é que uma pessoa recebe uma carta inesperada da companhia da electricidade, preocupa-se um bocadinho a pensar em aumentos e más notícias enquanto abre o envelope, para depois perceber que afinal os preços vão baixar!


A sério, este país não existe...

Diálogos improváveis



1 comentários
Na cidade
Senhor asiático: Can you tell me the way to the train station?
Eu: Sure, just turn left on the next street.
Senhor asiático: Turn right?
Eu: Left.
Senhor asiático: Right?
Eu: Left!!!

No restaurante rodízio
Empregada brasileira: Are you guys Brasilian?
Eu: We're Portuguese.
Empregada brasileira: Então podemos falar Português!
Eu: Sim :)
Empregada brasileira: Where would you like to seat?

Blue Mountains



0 comentários

Uma folga inesperada num dia de sol rapidamente se tornou um pretexto para irmos finalmente às Blue Mountains. Desde que viemos para cá que este passeio estava nos nossos planos e vinha a ser adiado. Mas connosco estes planos de última hora resultam sempre e assim, em pouco tempo, definimos o programa, preparámos a marmita e lá fomos rumo às montanhas.

Fomos directos ao Echo Point, o miradouro principal com vista panorâmica sobre as montanhas e as Three Sisters (imagem acima), imagem de marca das Blue Mountains. As Three Sisters são uma formação de rochas de formato peculiar, que segundo uma lenda aborígene, representam 3 irmãs que foram transformadas em pedra.

A vista é mesmo de cortar a respiração. Ali encontrámos o ponto de partida para a Giant Stairway e começámos o percurso para baixo. São nada mais nada menos que 900 degraus bem íngremes até à base das Three Sisters, alguns meio toscos de pedra, outros de ferro. É um percurso longo e cansativo, mas há sempre corrimões para nos apoiarmos e várias zonas com banquinhos, para descansar as pernas e apreciar a vista.

Confesso que o início do percurso não me inspirou muita confiança...
Ele a caminho e ela sentada na zona de descanso, a recuperar energias para outro lance de escadas.
A um ponto da descida estávamos mesmo ao lado de uma das "Sisters".
O ponto que assinalava o meio do percurso. Só mais 450 degraus!
Já lá em baixo seguimos para o Scenic Railway, o comboio que nos levaria de volta ao topo.

2.5 km? Minhas ricas perninhas!
Na base :)
Por esta altura já o cansaço se fazia sentir, por isso a zona de picnic junto à base da cascata de Katoomba pareceu-nos uma miragem. Ali ficámos a almoçar tranquilamente ao som da água a correr.


Chegámos à estação do Scenic Railway e ficámos a ver os turistas a embarcar no comboio ao som da música do Indiana Jones (hahaha!), e os da carruagem de baixo a gritar enquanto subiam a montanha. Diz que, por a pista ser tão íngreme, é uma experiência radical.

Scenic Railway
Foi aqui que ele me deu a volta, que "só os velhinhos é que iam no comboio e que a experiência a sério era voltar a subir a pé". Não sei como é que caí nessa mas a verdade é que minutos depois estávamos a começar a subir os Furber Steps.

Acho que me arrependi logo ao fim do primeiro lance de escadas...
Não vou mentir, esta parte custou mais e tive que parar em todos os pontos de descanso. Mas também é verdade que se não tivéssemos subido a pé tínhamos perdido os pontos mais bonitos deste passeio.

Katoomba Falls, já mais acima
Um percurso maravilhoso pela Natureza
O Skyway
Foi um bom dia para mudar de cenário, para nos desligarmos do mundo e relaxar. Mas só até ao dia seguinte, quando as pernas se começaram a queixar do esforço :)
Muito ficou ainda para ver, por isso esperamos voltar outra vez (de preferência para um percurso com menos degraus!).
older post