Sydney Opera House

Sydney Opera House

First world problems



4 comentários
Quantos pacotes de batata frita são precisos para fazer um bacalhau à brás?

Ou a chatice que é o facto de não haver batata palha em pacotes de tamanho normal e de mesmo estas miniaturas serem difíceis de encontrar.
Na verdade eu já ouvi dizer que os pacotes normais existem por aqui sim, mas em 3 anos ainda não consegui avistar nenhum...

Sol de pouca dura



3 comentários
Safámo-nos com o fim de semana, mas a partir de segunda feira voltámos às nuvens, 90% de humidade (como o meu cabelo adora), show de trovoadas, e choveu naquele dia o equivalente a um mês de chuva.

É a terceira vez que alguém é atingido por um raio em Sydney nas últimas semanas, durante estas "tempestades". E agora, levo o chapéu de chuva ou será melhor deixá-lo em casa?


Espero que a previsão esteja certa e que sejamos abençoados com um solzinho bom no próximo fim de semana outra vez :)

Wattamolla Beach - National Park



1 comentários
O fim de semana chegou com sol e calor, coisa cada vez mais rara agora que o Outono chegou à Austrália, por isso aproveitámos para ir passear.
Juntámo-nos aos novos companheiros dos passeios de Domingo e rumámos ao Royal National Park, a sul de Sydney, para um barbecue e tarde de praia.

A viagem faz-se bem e em menos de uma hora chegávamos ao destino escolhido, a área de pic-nic de Wattamolla.

Uma das coisas boas da Austrália é esta abundância de parques e zonas de natureza fora da confusão da cidade (na verdade, até na cidade há parques com fartura). Poder usufruir de zonas de lazer com equipamentos básicos (estacionamento, wcs, áreas de pic-nic) e ainda parques infantis e barbecues públicos gratuitos é realmente um privilégio.
No National Park há uma taxa a pagar por carro que lá estaciona. $11 mais que justos para ajudar na manutenção dos equipamentos e conservação do parque.

Como chegámos já à hora do almoço, não apanhámos um barbecue livre, mas pusemo-nos na "fila". Tudo muito civilizado e ninguém tenta passar à frente. Umas bebidas e uns dips para enganar a fome e em menos de nada era a nossa vez.

Depois do almoço fizemos o percurso até à praia.

A caminho da praia
Seguimos em direcção à costa e encontrámos uma praia rodeada de rochas e um trilho de água, por onde tivemos que passar para chegar à areia.

Já do lado de cá do "rio"
Praia de um lado, floresta do outro
O cenário era completamente diferente do da zona de pic-nic e de repente parecia que estávamos noutro sítio. 

Em vez de ficarmos junto ao mar, resolvemos seguir até mais ao fundo daquela lagoa, onde sabíamos que havia uma zona de cascatas, que ia ser o cenário perfeito para a nossa tarde de relax.

As cascatas
Aqui tivemos com que nos entreter, a observar miúdos ágeis a trepar pelas rochas até ao topo e depois a saltar lá de cima. Convém dizer que é proibido trepar e mergulhar dali, mas para quem está cá em baixo é uma animação (ou uma aflição) ficar a ver e a "pontuar" os saltos.

A areia macia, o calor do sol a espreitar por entre as nuvens, o som das cascatas e do mar ao longe, fizeram deste o local perfeito para descansar e recuperar energias para mais uma semana.


A máquina ficou em casa e as fotos de telemóvel não fazem jus à beleza do sítio. Fiquem antes com estas do site oficial:

Foto daqui
Foto daqui

A nossa vida mudou



2 comentários

Encontrei milho para pipocas na mercearia cá do "bairro". Vocês sabem lá há quanto tempo eu não como pipocas caseiras! Só daquelas de microondas com sabor a manteiga, muito boas mas nada amigas do colesterol.

Acho que encontrei a solução para aqueles ataques de gulodice fome que ele agora tem depois do jantar, em que remexe a despensa toda enquanto me pergunta "há alguma coisa que se coma?".

O adeus



2 comentários
Eu sabia que este dia ia chegar. Era inevitável.
Eu não queria admitir e durante muito tempo fingi que não se passava nada mas, no fundo no fundo, há muito que eu já sabia que a nossa relação não ia durar.

O problema não eras tu, era eu.

Tínhamos objectivos de vida diferentes, eu acabei por me afastar e deixei-te sozinho.
Aprendi muito contigo, afinal foste o meu primeiro. Companheiro fiel, poucas vezes me deixaste ficar mal. Quem não te conhecia, à primeira vista encontrava logo as cicatrizes que a idade te trouxe, mas aos meus olhos sempre foste perfeito.

Eu sei que estavas à minha espera e que não querias dizer adeus, mas acredita que é o melhor para nós. Vais ser mais feliz com o teu novo dono, deixar aquela garagem fria onde te abandonei e vais voltar a passear e a ter toda a atenção que mereces.
Mas terás sempre um lugarzinho no meu coração.







Adeus bolinhas. See you in another life!

É oficial, acabou-se o Verão



1 comentários
Por estes lados o Outono começa a 1 de Março. Eu já sabia que o Verão tinha que acabar um dia (não que aqui faça muita diferença de uma estação para a outra,  está sempre a chover de qualquer maneira) mas não esperava que o Outono se fizesse anunciar de uma forma tão dramática!

Tempestade a aproximar-se em Bondi Beach. Foto daqui

Logo no fim de semana começou a chuva intensa, que não ajudou muito ao desfile do Mardi Gras no sábado (pobres rapazes pouco vestidos a desfilar à chuva..) e o mau tempo continuou durante a semana. 
Ontem o dia começou com sol e calor mas mudou repentinamente durante a tarde, quando esta nuvem gigantesca cobriu os céus de Sydney. Numa questão de minutos o dia transformou-se, tudo muito escuro, chuva torrencial, vento e trovoada, numa cena de "apocalipse".

Houve pequenas inundações no centro da cidade e em algumas linhas do comboio, voos desviados para outros aeroportos e trânsito caótico em plena hora de ponta.

Felizmente a tempestade passou tão depressa como chegou e em poucas horas estávamos de volta ao normal.

As nuvens escuras sobre o CBD. Foto daqui


Tempestade em Bondi Beach. Who cares? Foto daqui
Bye bye Summer...

Aventuras nos correios



0 comentários
Foram precisos 3 anos de Austrália para eu aprender que, no que toca ao preço do envio de coisas pelo correio para o estrangeiro, o que importa não é o tamanho do pacote, mas sim a sua espessura. Poupa-se imenso se conseguirmos pôr as coisas num envelope com menos de 2cm de espessura, independentemente do tamanho. 

Escusava era de ter passado uma manhã nos correios, com a senhora a teimar que o meu envelope nao passava na ranhura (passava sim, que eu testei) e a ter que dar cabo do embrulho bonitinho que estava lá dentro e improvisar, para que ficasse ainda mais fininho. Oh well
older post